O Retrato Como Avatar – Dorian Gray Às Avessas

O Retrato Como Avatar

Dorian Gray Às Avessas

Na obra-prima literária de Oscar Wilde, um pacto infernal transfere a uma pintura, todos os aspectos sombrios de Dorian, que permanece ilibado ao olhos do mundo.

Neste artigo, o Artista Plástico e Psicanalista Henrique Vieira Filho propõe inverter a premissa e criar um retrato que desperte o potencial oculto do indivíduo.

O Artista Plástico e Psicanalista Henrique Vieira Filho e sua tela Ch'ien (Hexagrama "O Criativo"): o dragão é o seu Alter-Ego
O Artista Plástico e Psicanalista Henrique Vieira Filho e sua tela Ch’ien (Hexagrama “O Criativo”): o dragão é o seu Alter-Ego

Não raro, a aquisição de obras de Arte considera o retorno como investimento financeiro, a repercussão sócio-cultural e o benefício de ser um patrimônio que se aprecia e usufrui, enquanto valoriza.

Recentemente, um novo valor se soma e que só pode ser quantificado e qualificado pela própria pessoa: vivenciar a experiência criativa, de tal forma que a Arte reflita parte de si mesmo.

O indivíduo se torna, simultaneamente, um autor, musa e criatura estampada na tela, a qual, ainda que à vista de todos, igualmente “oculta” significantes que só a própria pessoa retratada reconhece.

Enquanto o retrato de Dorian Gray oculta o que este nega em si mesmo, a experiência de Arte, aqui proposta, revela à consciência emoções, desejos e anseios da alma.

De certo que nada supera uma pintura pensada exclusivamente para você e com sua participação direta no processo criativo. Outrossim, há outros caminhos mais acessíveis de vivenciar, ao menos em parte, esta incrível experiência de autoconhecimento!

Henrique Vieira Filho e resultados da Art Experience
O Artista Plástico e Psicanalista Henrique Vieira Filho e suas Artes especialmente criadas para a promoter carioca, Marcia Verissimo, para a linda e talentosa atriz global, Laíze Câmara e para a grande cantora Aline Wirley.
Telas Goddess Isis, Sweet Mermaid e Indomitable, respectivamente.

As imagens acima ilustram Artes que nascem de agradáveis e profundas interações, entre o Artista e a pessoa retratada que participa diretamente do processo criativo.

São observadas as características de personalidade, as raízes culturais, o momento pessoal e profissional, além das preferências de cores e texturas e as referências mitológicas com as quais se identificam e todos os demais aspectos relevantes que a conversação evidenciar.

Enquanto o valor intrínseco de uma obra artística considera o mercado, a qualidade técnica, o autor e a galeria (dentre outros aspectos mensuráveis…), as telas que nascem da Art Experience agregam significado emocional e único ao retrato. Para os apreciadores de Arte, tais pinturas são percebidas estética e tecnicamente, enquanto para a pessoa retratada, que vivenciou o processo criativo, seu significado é imensurável!

Todo o processo, por si, já é terapêutico, ampliando a criatividade e propiciando descobertas sobre si, pois os símbolos arquetípicos incorporados à Arte reverberam diretamente ao inconsciente: cada vez que olhar a tela, toda a qualidade da experiência é reativada.

Pode-se ir além do caráter terapêutico, incorporando à Terapia, ou seja, o efeito sendo catalisado em sessões coordenadas por um Arteterapeuta/Psicoterapeuta.

Profissionalmente, atua de ambas as formas: sou procurado tanto por aqueles que desejam vivenciar a Art Experience por si só, quanto por quem deseja sessões continuadas de Terapia Holística.

Até mesmo nas Exposições em que participo como Artista Plástico, sempre que possível, aplico a filosofia Slow Art: a apreciação íntima da Arte gera profundas emoções em cada visitante!

Cada participante torna-se curador da exposição: em grupos de no máximo seis integrantes, em dia e horário pré-agendados, podiam olhar e tocar em todas as telas e escolher as que desejavam apreciar com maior profundidade.

Slow Art - Art Experience - Henrique Vieira Filho conduz vivência de imersão na tela pintada
O Artista e Psicanalista Henrique Vieira Filho conduz uma sessão de Art Experience, em que a participante relaxa e faz exercícios de imaginação ativa tendo a sua tela preferida como estímulo.

Selecionadas as obras, estas são expostas e apreciadas por cinco a dez minutos (versus a média de dez segundos por obra em exposições convencionais…) e, não raro, o participante escolhe uma para fazer uma vivência terapêutica: ao som de música suave, relaxando em uma cadeira shiatsu, meditavam e deixavam a imaginação fluir, enquanto admiravam mais profundamente a Arte.

Sendo também Psicanalista, aprecio ainda mais as projeções emocionais dos participantes sobre cada obra, comumente seguida de insights sobre seus próprios momentos de vida!

Ainda que muito se foque nas Artes Plásticas, quando se disserta sobre Arteterapia, é bom pontuarmos que muitos outros recursos artísticos são utilizados, tanto terapeuticamente (no dia-a-dia…), quanto de forma profissional, em sessões de Terapia..

Com a popularização das câmeras digitais (e até as integradas nos celulares…), a Fotografia é um recurso que vem conquistando os consultórios (além das galerias de Arte, é claro…).

Todo Arte (Fotografia, Pintura, Teatro, Dança…) possui um significado inicial, intencionado por seu autor e perceptível pelos críticos, curadores, galeristas e apreciadores, enfim, os especialistas.

Outrossim, além do saber técnico, a Arte pode “tocar” o inconsciente do observador, que nela “projeta” aspectos de seu psiquismo, agregando um significante emocional que extrapola o simples apreciar.

A estética e conhecimentos técnicos das linguagens artísticas são pouco relevantes (na verdade, podem até dificultar…), quando o objetivo é o prazer lúdico da Experiência em Arte e o crescimento pessoal.

O que mais importa é o processo em si e o conteúdo pessoal/emocional que emerge das expressões artísticas.

Sequencialmente, publicarei aprofundamento de alguns destes tópicos, todos integrantes do Workshop Arte Em Terapia, que ministrarei neste dia 24/05/2018, na Saphira & Ventura Gallery – Reservas e inscrições: + 55 (11) 3061-2409 ou, diretamente neste link: https://www.sympla.com.br/workshop—a-arte-como-terapia__288400

Leia também:

Balanço comparativo: Slow Art x SP-Arte

Pierrots, Colombinas e Arlequinas – Carnaval, Arte e Psicanálise

Slow Movement: Desacelere, Viva Muito e Viva Bem!

Henrique Vieira Filho - Artista Plástico e Psicanalista
Henrique Vieira Filho – Arte E Terapia

 

Sobre o Autor:

Henrique Vieira Filho é artista plástico, escritor, jornalista e terapeuta holístico. Nas artes, é autodidata e seu estilo poderia ser classificado como surrealismo figurativo.

Por mais de 25 anos, esteve à frente da organização da Terapia Holística no Brasil, sendo presença constante nos meios de comunicação. Elaborou as normas técnicas e éticas da profissão, além de ser autor de dezenas de livros e centenas de artigos, que são adotados como referência em vários países.

Balanço comparativo: Slow Art versus SP-Arte

Balanço comparativo:

Slow Art versus SP-Arte

O Artista E Psicanalista Henrique Vieira Filho Analisa
Quantidade versus Qualidade No Experienciar A Arte

Todos já tivemos acesso ao balanço da SP-Arte: milhares de visitantes, milhões em vendas, centenas de obras de Arte. Estão de parabéns! Movimentaram o mercado e atraíram a atenção de um amplo público para a proposta!

Museus, galerias e meios de comunicação mensuram o “sucesso” das atividades artísticas pela QUANTIDADE de pessoas circulando, pois não há como medir a subjetividade: o PRAZER e a QUALIDADE da experiência vivida.

Por isso, só quem consegue realmente mensurar o “balanço” da Slow Art Week Brazil são os próprios participantes: a apreciação íntima da Arte gerou profundas emoções em cada visitante!

Cada um tornou-se curador da exposição: em grupos de no máximo seis integrantes, em dia e horário pré-agendados, podiam olhar e tocar em todas as telas e escolher as que desejavam apreciar com maior profundidade.

Slow Art - Imersão Em Arte

Selecionadas as obras, estas são expostas e apreciadas por cinco a dez minutos (versus a média de dez segundos por obra em exposições convencionais…) e, não raro, o participante escolhe uma para fazer uma vivência terapêutica: ao som de música suave, relaxando em uma cadeira shiatsu, meditavam e deixavam a imaginação fluir, enquanto admiravam mais profundamente a Arte.

Cada grupo com sua dinâmica, tendo em comum a emoção, a agradável troca de ideias e experiências, muitas vezes regada a choro de alegria e muitos, muitos abraços carinhosos!

Como Artista Plástico, tenho a oportunidade de expor minhas telas em galerias de todo o mundo (para estes dias, tenho obras em Miami e Vienna, simultaneamente…), o que, sem dúvida, me traz ótimos sentimentos de satisfação pessoal. Contudo, o que vivenciei no formato Slow Art supera e muito em INTENSIDADE e intimidade.

.

Sendo também Psicanalista, pude apreciar ainda mais as projeções emocionais dos participantes sobre cada obra, comumente seguida de insights sobre seus próprios momentos de vida!

A Slow Art Week Brazil de 2018 já encerrou, outrossim, convido a todos a ampliar esta Art Experience: reserve seu horário e venha VIVENCIAR A ARTE!

 

Galeria HVFARTES
Alameda Santos, 211 – São Paulo – SP
[email protected]

Whatsapp: 11 – 93800-1262

Saiba que será um prazer lhe receber!

Biografia:

Henrique Vieira Filho é artista plástico, escritor, jornalista e terapeuta holístico. Nas artes, é autodidata e seu estilo poderia ser classificado como surrealismo figurativo.

Por mais de 25 anos, esteve à frente da organização da Terapia Holística no Brasil, sendo presença constante nos meios de comunicação. Elaborou as normas técnicas e éticas da profissão, além de ser autor de dezenas de livros e centenas de artigos, que são adotados como referência em vários países.

Henrique Vieira Filho Nas Artes:

Paralelamente, sempre fez questão de ilustrar pessoalmente suas publicações, traduzindo em imagens os mais diversos conceitos subjetivos relacionados às terapias orientais e à psicoterapia.

Contornando traumas de infância que não lhe permitem sujar as mãos de tinta, adotou a computação gráfica como seu pincel e a fotografia como formas de expressão.

Em 2015, recebeu um convite inesperado para compor um capítulo fotográfico sobre o tema “Diversidade e Miscigenação”, que foi lançado como livro, em Paris.

Para este trabalho, Henrique Vieira Filho utilizou-se da projeção de desenhos gráficos étnicos de variadas culturas sobre a pele de modelos femininos, sendo o resultado muito bem recebido junto à crítica especializada e público.

Instigado a ir além dos limites da fotografia, o artista ampliou a temática, aplicando pintura via computação gráfica e a finalização via impressão “fine art” (“giclée”).

Sua experiência de décadas como terapeuta, em especial, com a Psicanálise Junguiana, lhe possibilita uma familiaridade ímpar com a mitologia e as imagens oníricas, sempre presentes em seus quadros e fotografias.

As novas obras de Henrique Vieira Filho chamaram a atenção do mercado das artes, já estando confirmadas exposições em diversas capitais brasileiras, além de galerias da Europa, Ásia e Estados Unidos.

Exposições, vernissages, publicações:

Exposição “Arquétipos”, setembro de 2016, Mansão Hasbaya, São Paulo, SP, Brasil

“Diversidade” – livro de fotografias fine art – setembro de 2016 – Editora HVF Artes – São Paulo, SP, Brasil

“Le Brésil vu par les Brésiliens” – livro de fotografias fine art – outubro de 2016 – Editora Divine – Paris, França

Coleção Arquétipos – Art Lab – Hotel Mercure, novembro de 2016, , São Paulo, SP, Brasil

Art Basel – 2016 – Coleção Afrodites – Antiques & Design Mall Miami, dezembro de 2016, Miami, Flórida, Estados Unidos
Exposição: “A Dinâmica Do Inconsciente” – Art Lab Gallery – dezembro de 2016, São Paulo, SP, Brasil

Exposição “Afrodites” – Anjos Art Gallery, dezembro de 2016, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Expo Punta Arte – janeiro de 2017 – Punta del Est – Uruguai.

Affordable Art Fair – fevereiro de 2017 – Bruxelas – Bélgica

Art Fair Tokyo – março de 2017 – Tóquio – Japão

Exposição “Arquétipos” – Galeria Glen Art – março de 2017 – Alphaville – Barueri, SP, Brasil

Exposição Alpha Square Mall Arts – abril a junho de 2017 – Galeria Angela OliveirArte, Alphaville, Barueri, SP, Brasil

Exposição “SEREIArte” – maio de 2017 – Galeria HVFArtes – São Paulo, SP, Brasil

Exposição “IN ART FAIR” – maio de 2017, Porto, Portugal

Exposição “Inserções & Conexões” – maio de 2017, Inn Gallery, São Paulo, SP, Brasil

Exposição “Estrella Guia” – maio e junho de 2017, Espai Marc Llimos, Barcelona, Espanha

Exposição “Zeichen der Zukunft” (“Sinais do Futuro” – “Signs of the Future”) – junho de 2017, Triesen – Liechtensteinem

Exposição “O Amor Inspira” – junho de 2017, Inn Gallery, São Paulo, SP, Brasil

Exposição “Arte Sem Fronteiras” – julho de 2017, Rodyner Gallery, Palácio Casa da Guia – Cascais – Portugal

Exposição “Diversidades” – julho de 2017, Inn Gallery, São Paulo, SP, Brasil

“Arte Brasileira Na Contemporaneidade” – Volume II – produção de Carmen Pousada – O Artista Plástico HENRIQUE VIEIRA FILHO integra, com algumas de suas mais renomadas obras, este livro que apresenta os trabalhos de artistas criteriosamente selecionados, considerados expoentes da arte contemporânea – julho de 2017, São Paulo, SP, Brasil

Art Exhibition Miami – julho de 2017 – Antiques & Design Mall Miami, Miami, Flórida, Estados Unidos
Exposição “Mil Tsurus” – agosto de 2017 – Galeria HVFArtes – São Paulo, SP, Brasil

4a Arte No Fórum – Espaço Cultural do Fórum OAB Jabaquara – agosto de 2017- São Paulo, SP, Brasil

Exposição “Asas Na Arte” – setembro de 2017 – Galeria HVFArtes – Mansão Hasbaya – São Paulo, SP, Brasil

Art Circuit Of Europa – setembro de 2017 – The Vienna Workshop Gallery – Viena, Áustria

Exposição de Artes Luxus – outubro de 2017 – Sala São Paulo – Secretaria da Cultura do Estado – São Paulo, SP, Brasil

Exposição “Valorizando a Arte” – novembro de 2017 – Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo – São Paulo, SP, Brasil

Exposição “WALL – Muros Emocionais E Sociais” – novembro de 2017 – Galeria HVFArtes – São Paulo, SP, Brasil

Pocket Exhibition “Rio Diva” – dezembro de 2017 – Revista A Mais Influente – Copacabana, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Contemporary Art Fair – 2017 – novembro / dezembro de 2017 – Antiques & Design Mall Miami, Miami, Flórida, Estados Unidos

Pocket Exhibition “São Paulo: Cidade Diva no Divã” – janeiro de 2018 – Galeria HVFArtes – São Paulo, SP, Brasil

5a Arte No Fórum – Espaço Cultural do Fórum OAB Jabaquara – fevereiro a maio de 2018- São Paulo, SP, Brasil

Exposição “He For She – Eles Por Elas” – março de 2018 – Galeria HVFArtes – São Paulo, SP, Brasil

Brazilian Art Exhibition Rome – 2018 – março de 2018 – Arte Borgo Gallery – Roma – Itália

Slow Art Week Brazil – abril de 2018 – Galeria HVFArtes – São Paulo, SP, Brasil

Brazilian Art Exhibition Vienna – 2018 – abril / maio de 2018 – The Vienna Workshop Gallery – Viena – Áustria

Henrique_Vieira_Filho_estudio.jpg

Henrique Vieira Filho Na Terapia:

 Na Terapia Holística, Henrique Vieira Filho atuou como jornalista e terapeuta que se dedicou por mais de 25 anos à normalização da profissão, gerenciando entidades como o SINTE – Sindicato dos Terapeutas (sindicato), CRT – Conselho de Auto Regulamentação da Terapia Holística (ONG), dentre outras.

Apartidário, apolítico, é defensor da auto regulamentação profissional, onde as próprias categorias desenvolvem suas regras técnicas e éticas, criando Normas Técnicas Setoriais, de adesão voluntária, as quais são divulgadas publicamente para referência da sociedade, bem como detalhada aos profissionais por meio de literatura técnica.

Responsável direto pela implantação da Residência em Terapia Holística no Serviço Público de Saúde, onde comandou, em 11 cidades, as equipes para atendimento OFICIAL e gratuito à população com acupuntura, terapia floral, yoga, tai-chi-chuan, cromoterapia, fitoterapia, dentre muitas outras técnicas.

Colaborou com entrevistas e consultorias para Jornal da Tarde, O Estado de São Paulo, Diário Popular,Revista Elle, Revista Cláudia, Revista Máxima, Revista Veja, Revista Planeta, Revista Capricho, Revista Contigo, Revista Saúde, Revista Boa Forma, Rádio Globo, Rádio Gazeta, Rádio Eldorado, Rádio Nova, TV Globo (Jornal Nacional, Bom Dia Brasil, Fantástico, etc.), TV Gazeta (Telejornal, Mulheres, Manhã na Paulista), TV Record, SBT (Telejornal, Jô Soares Onze e Meia, etc.), TV Jovem Pan (Telejornal, Opinião Livre, etc.), TV Cultura, TV Bandeirantes, Rede Mulher, TV Rio

Livros Publicados no campo da Terapia Holística:

  • O Microcosmo Sagrado – O Segredo Da Flor de Ouro Para Saúde E Autoconhecimento
  • Marketing Para Consultórios de Terapia Holística
  • Florais de Bach – Uma Visão Mitológica, Etimológica e Arquetípica
  • Florais de Bach – Fotos E Fatos
  • Tutorial Terapia HolÍstica
  • Fitoterapia Em Cinco Movimentos
  • Holopuntura – a Quintessência Da União de Técnicas
  • Psicoterapia Holística – Um Caminho Para Si Mesmo
  • O Corpo Como Portal Para O Autoconhecimento
  • Iridologia – Novos Rumos

Slow Movement: Desacelere, Viva Muito e Viva Bem!

Slow Art - O Que É Bom Leva Tempo O Artista Henrique Vieira Filho homenageia Salvador Dali, tendo ao fundo a sua obra Polimetropolis

Tela Polimetropolis – O Artista Henrique Vieira Filho homenageia Dali

Slow Movement: Desacelere, Viva Muito e Viva Bem!

Viver em um ritmo acelerado, de certo que tem um certo charme (“live fast, die young” – viva rápido, morra jovem…), contudo, considero que a alternativa é bem mais interessante: desacelerar, viver muito e viver bem!

O Slow Movement preconiza a vivência do tempo com maior QUALIDADE para tudo e todos.

Começou na Itália, em 1996, com o Movimento Slow Food, que contrariava os valores e a cultura associadas ao “fastfood”: a proposta é a de saborear lenta e atentamente a refeição, a qual igualmente levou tempo e atenção para ser preparada, em contraponto às comidas “massificadas” e “pré-fabricadas”.

O ideal “slow” pode ser aplicado a tudo, focando em desacelerar para apreciar e tornar mais prazerosas todas as atividades.

A “filosofia slow” estendeu-se para inúmeras áreas, enumerando, a seguir, algumas delas:

  • “Slow Cities” – cidades pequenas, com maior qualidade de vida…,
  • “Slow Travel” – apreciar o passeio como um todo, não apenas o destino…,
  • “Downshifting ou Simplicidade Voluntária” – redução de preocupações, de bens materiais, para conquistar mais tempo para o convívio com quem amamos e demais atividades prazerosas…,
  • “Slow Fashion” – roupas sustentáveis e duráveis, que não saem de moda no ano seguinte; qualidade em detrimento da quantidade…,
  • “Slow Sex” – sem pressa, com carinho, amor e muito mais prazer…,
  • “Slow Art” – propõe apreciar por 5 a 10 minutos cada obra e trocar ideias sobre a experiência, sob a coordenação de um curador ou artista (sobre este tópico, tenho mais a dizer, na sequência)…

Se antes, o ditado era “tempo é dinheiro”, a nova versão pode ser “tempo é prazer”.

Existe uma verdadeira obsessão por atividades e tecnologias que otimizam o tempo, só que, ao invés de aproveitar este ganho para o lazer, as pessoas acumulam outras novas tarefas! A impressão é que o dia não é suficiente para cumprir todos os compromissos…

Degustar refeições, conversar, conviver com a natureza, apreciar as artes, enfim, os prazeres da vida são tidos como um “insulto” à nossa posição de “ocupados demais para se dar ao luxo desperdiçar tempo”.

Viver num ritmo slow é procurar viver num ritmo equilibrado que seja bom para o corpo e bom para a mente (saúde), bom para os relacionamentos, para as sociedades e comunidades (desenvolvimento pessoal, social e local), e para o planeta (ambiente, sustentabilidade), é um modelo de equilíbrio para viver melhor sabendo quando é necessário abrandar ou acelerar não deixando que o abrandamento se torne estagnação, nem deixando que a aceleração se torne maníaca.
Fonte: https://www.slowmovementportugal.com/

Focando o tema para as Artes, onde seria de esperar-se qualidade de público e de interação, o que se constata é justamente o oposto: a média gasta por um visitante em frente a uma obra é, segundo o “The New York Times”, de 15 a 30 segundos!

Museus, galerias e meios de comunicação mensuram o “sucesso” das atividades artísticas pela QUANTIDADE de pessoas circulando, pois não há como medir a subjetividade: o PRAZER e a QUALIDADE da experiência vivida.

Phil Terry, CEO da Collaborative Gain, Inc. é o idealizador do Slow Art Day (dia 08 de Abril). Frequentador rotineiro de galerias e museus, mudou radicalmente seu modo de apreciar e interpretar as obras, após ter experienciado, pela primeira vez, dedicar longos minutos para cada obra, em 2008, no Museu Judaico, passando a incentivar esta forma de vivenciar a Arte.

O Slow Art Day orienta aos observadores das Artes que dediquem de cinco a dez minutos a cada obra escolhida e, então, lhes propicia a oportunidade de conversar sobre a experiência com outros espectadores, comumente, com a mediação de um Artista ou um Curador.

Pessoalmente, tenho o prazer e a honra de ser o representante brasileiro do Slow Art e, de 08 a 14 de abril, dedicarei a receber o público, organizado em pequenos grupos com horários pré-agendados (reserve seu lugar, inscrevendo-se aqui!).

Os visitantes serão os “curadores”, selecionando as telas que mais apreciam e estas serão postas em exibição particular! Após apreciarem, trocaremos ideias, e, como também sou Psicoterapeuta, é bem provável que a dinâmica flua para vivências, exercícios de imaginação ativa, perante a reação a cada tela (assista ao vídeo!).

Venha vivenciar o universo “slow” de QUALIDADE de experiências: será um prazer lhe receber na Slow Art Week Brazil – de 08 a 14/04/2018!

Encontro com vocês lá!

Slow Art Week Brazil – de 08 a 14/04/2018

Desacelere, Aprecie e Vivencie A Arte

Galeria HVFARTES
Alameda Santos, 211 – São Paulo – SP
[email protected]

Whatsapp: 11 – 93800-1262

Saiba que será um prazer lhe receber!

 

RSVP: Clique e Acesse o Formulário Para Agendamento

Para o proveito integral da Experiência em Arte, estamos agendando dia e horário e a proposital limitação para até 6 visitantes simultâneos, garantindo assim, o conforto, proveito e a qualidade das vivências, pois vão muito além de simples “passeios” pelas obras!

CRONOGRAMA DE DIAS E HORÁRIOS:

Domingo, 8 de abril de 2018
13:00 – 15:00
16:00 – 18:00
Segunda, 9 de abril de 2018
10:00 – 12:00
13:00 – 15:00
Terça, 10 de abril de 2018
10:00 – 12:00
13:00 – 15:00
Quarta, 11 de abril de 2018
10:00 – 12:00
13:00 – 15:00
Quinta, 12 de abril de 2018
10:00 – 12:00
13:00 – 15:00
Sexta, 13 de abril de 2018
10:00 – 12:00
13:00 – 15:00
Sábado, 14 de abril de 2018
13:00 – 15:00
16:00 – 18:00

 

Slow Art – 08 de Abril – Dia Mundial

08 de Abril – Dia Mundial da Slow Art

Resgata o prazer em apreciar e experienciar a ARTE!
Desacelere, Aprecie e Vivencie A Arte!
Alameda Santos, 211 – São Paulo – SP – Entrada Franca

RSVP: Clique e Acesse o Formulário Para Agendamento

     A proposta do movimento mundial “Slow Art” é que se amplie o tempo de apreciação de cada obra (ao invés de tão somente “passar” por ela….) e os participantes se reunirem para conversar sobre a experiência.

Em um minuto, este vídeo bem humorado mostra a diferença entre Slow Art e uma Exposição Convencional.

  • Exposições Convencionais: lotadas, poucos segundos para apreciar as obras…
  • Slow Art: tranquilidade, conforto, prazer, tempo, hora marcada…
Pessoas transformadas em obras de Arte!
Pessoas transformadas em obras de Arte, pelo Artista Plástico Henrique Vieira Filho

Mais do que apenas adquirir pinturas, VOCÊ pode VIVENCIAR A ARTE tornando-se sua própria obra-prima!
Na Exposição Slow Art Week, os participantes terão a oportunidade de conhecer o processo criativo!

Henrique Vieira Filho-Artista Plástico e Psicanalista
Henrique Vieira Filho-Artista Plástico e Psicanalista junto a uma de suas obras mais prestigiadas

 

     Com dia e hora previamente agendados, o Artista Henrique Vieira Filho (representante oficial do Movimento Slow Art no Brasil) receberá grupos de até seis participantes na intimidade de seu estúdio, situado na região dos Jardins (São Paulo – SP).

     Os visitantes elegem as obras em exposição que mais lhe impactaram, passando a apreciá-las com conforto e TEMPO e ainda podem interagir com o Artista, seja conversando sobre as pinturas, seja experienciando uma vivência em Arteterapia ou Psicoterapia Holística!

RSVP: Clique e Acesse o Formulário Para Agendamento

Slow Art Week Brazil
de 08 a 14/04/2018

 

Conforto e tranquilidade na Slow Art
Conforto e tranquilidade na Slow Art

Galeria HVFARTES
Alameda Santos, 211 – São Paulo – SP
[email protected]
Whatsapp: 11 – 93800-1262

Saiba que será um prazer lhe receber!

Baixe o release no Google – Clique Aqui!

 

Ler maisSlow Art – 08 de Abril – Dia Mundial

A Monalisa E O Movimento Slow Art

A Monalisa E O Movimento Slow Art

A Arte de Apreciar a Arte

Minha experiência junto ao Louvre gerou a convicção de apoiar o Movimento Slow Art, que resgata o prazer, conforto e proporciona experiências especiais e únicas na apreciação da Arte, em museus, galerias e exposições.

Caminhava maravilhado pelos corredores do museu, demorava em cada obra o tempo que o coração determinasse, sem pressa alguma, fotografando ao me despedir de cada tela…

Tudo ia muito bem até que… a Monalisa me chamou! Uma placa indicativa apontava a direção e a segui…

Aí começou o martírio, situação que lamento ver repetir em boa parte dos vernissages atuais: ouço passadas rápidas e ruidosas… centenas!

Humor - Ver a Monalisa no Louvre é uma experiência traumatizante
Humor – Ver a Monalisa no Louvre é uma experiência traumatizante.
Gif animada parodia o excesso de turistas circulando na sala da Gioconda

Exagero em dizer que o chão tremia perante algo que parecia ser uma avalanche descendo a montanha: estourou uma manada de pessoas anti-slow-art!

Tal qual Indiana Jones, tento manter-me à frente da imensa bola humana que rolava impiedosa pelo antes sereno ambiente.

Em vão: o tsunami humano me arrastou e eis que me vejo perante Vossa Majestade, a Gioconda!

Ingênuo, tentei apreciar… Contudo, cotoveladas, pisões e esbarrões são péssimos aliados. Um infindável revezamento de pessoas, uma após outra, parando por alguns segundos para uma “selfie” com a celebridade mais popular do Louvre.

Evoquei todos os poderes dos monges tibetanos para me isolar do mundo e focar na mais conhecida obra de Da Vinci…

Ops, superpoder errado! Precisaria emprestar do Superman sua visão telescópica e de raio-X, tamanha era a distância somada a um vidro de proteção que nem sequer é antirreflexo!!

O reflexo no vidro era tamanho, que enxergava nele mais a tela que estava na parede ao lado (suponho que seja a obra ”The Fainting of Esther”, de Paolo Veronese…), do que a própria Monalisa!

Henrique Vieira Filho nos mostra o efeito visual prejudicial do vidro de proteção da Gioconda, de Leonardo Da Vinci
Henrique Vieira Filho nos mostra o efeito visual prejudicial do vidro de proteção da Gioconda, de Leonardo Da Vinci

Bem mais agradável foi a experiência que despertou o artivismo em Phil Terry, a qual mudou radicalmente sua apreciação das Artes, após ter experimentado dedicar vários minutos a cada obra, no Museu Judaico, em 2008.

Antes acostumado a tão somente passear pelas obras, ampliou exponencialmente o prazer e a percepção de belezas e detalhes nas telas, a tal ponto que tornou-se patrono do Slow Art Day.

A cada ano, geralmente no dia 08 de abril (em 2018, optaram pelo dia 14…) as galerias participantes em todo o mundo estimulam aos visitantes que selecionem algumas de suas obras e as apreciem por 5 a 10 minutos cada, tendo a oportunidade, a seguir, de trocar experiências com os demais participantes, sob mediação de um curador ou artista.

No Brasil, a Galeria HVF Artes e Sociedade Das Artes, são os representantes oficiais do movimento, e mais do que tão somente um dia, uma semana inteira estará à disposição: Slow Art Week Brazil – de 08 a 14/04/2018

Além de ter acesso à Exposição em si, cada participante seleciona a tela que mais lhe atrai e esta obra será disponibilizada bem à sua frente, podendo observar com conforto e tempo.

Considerando que, além de Artista Plástico, também sou Psicanalista Junguiano, faço questão de intermediar a experiência e a troca de ideias e, dependendo da desenvoltura de cada grupo, posso até propor uma Art Experience, onde VOCÊ se transforma em ARTE!

A seguir, alguns exemplos de que, ao invés de tão somente passearem em frente à Monalisa, investiram em experienciar a ARTE e se transmutaram em suas próprias versões da Gioconda!

Clique Aqui para assistir ao vídeo com as etapas criativas!

Sério Giocondas - Telas de Henrique Vieira Filho
O processo criativo das telas do nosso Artista Henrique Vieira Filho envolve modelos reais, pintura corporal, cenografia e teatro na incorporação das personagens.
Após esta etapa inicial, se somam muitos dias de pintura digital e criação, até o resultado desejado.
Esta imagem sintetiza uma sessão de fotos, uma pintura e o trabalho finalizado, com as telas “Gioconda Africana” e “Gioconda Egípcia”, em exposição na Galeria Hvfartes

 
[add_single_eventon id=”733″ ]